Carlos Aragao

Rookie - 24 Points (10-17-1959 / Brazil)

Avulsa - Poem by Carlos Aragao

Sem você me sinto avulsa
Separada do coração, que pulsa
Destoante dos segundos...
Parecendo não pertencer ao mundo.

Anônima, desirmanada, errante
Como um beijo não roubado
Desperdiçado por um instante
Perdido no vale das sombras de Dante.

Arrancada da vida, desnascida.
Mas com um coração teimoso
Furioso, dengoso e sem medo
Que só ao te ver, pode ter sossego.

Que mesmo sem te sentir, vive
E pulsa, com o desatino
De quem ama com a certeza
De que tu és o meu único destino.

I.C. & C.A.


Comments about Avulsa by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Thursday, March 1, 2012

Poem Edited: Friday, March 2, 2012


[Hata Bildir]