Carlos Aragao

Rookie - 23 Points (10-17-1959 / Brazil)

Punhaladas - Poem by Carlos Aragao

Viver e muito perigoso,
Seja na margem de um rio,
Ou quem sabe….
Perdido em um navio.

Viver muitas vezes e tenebroso,
Entre sombras do que nao fomos,
Digerindo amargas decisoes,
Sedentos a beira de um poco de emocoes.

Incansavel luta de sentimentos,
Palabras desperdicadas em tormentos,
Uma palavra de amor esquecida….
…e a felicidade atirada ao vento.

Oco, vazio, sem pele e sem cor,
Stagnado entre o hoje e o ontem,
Sem futuro e sem razao,
Perene na dor desta emocao,
Que me rasga consumindo alma e coracao.

Ja nao sou eu mesmo,
E ja nao creio…
E sigo adiante matando con lentas punhaladas,
A tudo que tanto anseio.


Comments about Punhaladas by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Tuesday, October 11, 2011

Poem Edited: Wednesday, October 12, 2011


[Hata Bildir]