Carlos Aragao

Rookie - 26 Points (10-17-1959 / Brazil)

Lentamente... - Poem by Carlos Aragao

Lentamente se expande o coração,
Vai criando estrelas...
E do pó, criando vidas...

Lentamente se expande o coração,
Entre sonhos perdidos,
Vai gerando emoção...

Lentamente recria todas as almas,
Se torna outra vez criança,
Se transforma em esperança.

Lentamente se expande a emoção,
E recria o desejo,
Se perde em paixão.

Lentamente, mais que lentamente...
Se expande o coração.
Pulsa por passados não vividos,
Por amores perdidos...

Lentamente se faz único,
Se perde por caminhos conhecidos,
Se permite prazeres proibidos...

Lentamente, casualmente,
Se entrega o coração...
Entre gemidos de prazer,
Na certeza de pertencer...

Lentamente, num furor,
Ansioso se põem o coração,
Tem pressa agora, já não sente dor...

Rapidamente se enternece o coração,
E com pressa,
Se entrega ao amor e a paixão...

Um dia de chuva...
Uma manha de sol...
Não importa.
Lentamente se entregou o coração...


Comments about Lentamente... by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Tuesday, March 19, 2013



[Hata Bildir]