Carlos Aragao

Rookie - 28 Points (10-17-1959 / Brazil)

Esquecerte - Poem by Carlos Aragao

Viviamos pelo entardecer,
Entre sol, mar, serenidade e saudade…
Viviamos entre vozes únicas,
Um som único e irreal...

A espera da declaração nos movia,
Nos acalentava,
Não se perdia...

O som único, e só nosso,
Era mais que motivação,
Éramos tudo e nada,
Um ponto de conciliação...

Te imaginei entre versos não ditos,
Entre poemas não escritos,
Entre desejos obscuros,
Em uma vida que éramos mais que puros...

Me imaginei num jardim secreto,
Entre pedras perdidas, buscadas e encontradas,
Entre sinos intocáveis, em momentos memoráveis...

Mas mais que tudo, te vi pura,
Fruto de meu saber.
Um sonho compartido,
Em cada alvorecer...
Me perdi no que nao eras,
Por eleger uma quimera...

Amei uma mentira,
Me perdi em minha própria ira...
Me perdi ao realmente conhecer te,
Me entreguei a uma mentira latente,
A um calor onipresente, uma paixão inconsequente...

Mas éramos mais que únicos,
Perfeitos em todos os sentidos,
Uma mentira compartida,
Um amor, mais que real, completamente perdidos.

Me ajoelho e mendigo,
Por nada mais lembrar de ti,
Por apagar o tudo, por nunca pertencer te.
Me ajoelho e mendigo,
Pelo dia de esquecerte.


Comments about Esquecerte by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Wednesday, January 16, 2013

Poem Edited: Wednesday, January 16, 2013


[Hata Bildir]