Carlos Aragao

Rookie - 24 Points (10-17-1959 / Brazil)

Compartida - Poem by Carlos Aragao

A ti te daría tudo…
Corpo, alma e todos meus sorrisos…
Te vestiría para sempre,
Com o melhor dos meus olhares…

Serias talvez,
Uma felicidade flutuante,
Uma alma nao mais errante,
Um complemento de mim mesmo.

Serias o sonho realizado,
Entre o que querias,
Aquilo que fomos…
Serias antes de tudo… luz.

A forca que me seduz,
Um copo de vinho ao luar,
Um sonho ao despertar.

Serias talvez, aquela…
A musa de toda inspiracao,
A verdade sem ilusao,
A certeza de uma paixao.

Serias talvez…
Todas as mentiras que sonhei,
O amor básico que idealizei,
Todas as lagrimas que nunca chorei…

Serias, talvez…
Uma poesía encantada,
Uma ode a quase nada,
Uma certeza de ser feliz.

No final te tornaste nada,
Nada mais que a mulher amada,
Perdida em sonhos na madrugada,
Sorvendo uma vida envenenada.

Nao te negues a verdade,
Guarde en ti a realidade,
De uma perda…
…convivida.

Porque ao final…
…se pode viver toda uma vida,
Entre prazeres e agonias,
Mas jamais negar a raridade,
Da poesía compartida.


Comments about Compartida by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Tuesday, December 25, 2012

Poem Edited: Saturday, April 4, 2015


[Hata Bildir]